03 junho 2011

Sobre a saudade...

Isaac: Nós pensamos numa pessoa, é evidente que essa pessoa está pensando em nós.

Ana: Ah, é mesmo, mas pensar não mata a saudade... conversamos sempre ou por celular ou por msn, mas a saudade continua.

Isaac: Apesar da mais estreita comunicação , o sentimento adere de tal forma à pessoa, que todas as horas são poucas para saldá-las.

Ana: É... E quando a gente acaba de ver a pessoa, qdo ela vai embora, automaticamente a saudade começa. (rsrs)

Isaac: Embora a saudade tenha seu lado triste, a esperança sempre anula o lado negativo. É um preito de saudade que devotamos ao amor.

Ana: Poético!

Isaac: Você já ouviu falar que o amor é um bichinho que roi, roi o coração, mas o afeto tem raízes imensas na alma de quem o sente? Não é mesmo?

Ana: É isso. Eu parafrasearia assim: a saudade é um bichinho que roi, roi o coração, mas o amor tem raízes imensas na alma de quem o sente.

Isaac: É exatamente isso. Só de pensar, parece vermos a pessoa em toda a sua exuberância.

Ana: Gosto de guardar imagens bonitas dos parentes que se foram, assim sempre tenho boas lembranças deles.

Isaac: Eu também.

Um comentário:

ZUKA disse...

Que lindo, pai e filha dialogando!
Lembra a busca pelo perdido, rsrs